C   redit
Mas eu gosto de você, e eu não costumo gostar de ninguém.
John Green. 
Me diz alguma coisa, vai. Me fala tudo aquilo que eu ando louco pra ouvir da sua boca. Sussurra, então. Ou me ensina a receptar telepatia. Porque eu já estourei minha cota de intuição. Diz que me adora, que gosta de mim, que sente saudades minhas e uma vontade insana de me ver em plena quarta-feira. Sei que não muda nada, mas eu preciso ouvir.
Gabito Nunes.
Andei perdida, esperei desesperadamente que alguém me encontrasse. Engano meu, ninguém se quer chegou a sentir minha falta.
O Diário de Sofi.
Eu sou assim, ao extremo. Profunda. Se for café, tem que ser forte. Se for mergulhar, tem que ser fundo. Se for voar, tem que ser alto. Se for amar, tem que ser por completo, as qualidades e os defeitos, nas horas boas e ruins. Mas acontece que hoje quase ninguém mais é assim, ninguém de entrega por inteiro. Está todo mundo pairando na superfície, ninguém vai a fundo em nada. Ninguém tem coragem de se doar, de amar… Ao extremo.
— Ju. 
Eu sinto o maior medo e a maior tristeza que já senti em toda a minha vida. Mas agora eu vou lá, mostrar que sou super engraçado.
Tati Bernardi.
A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o ci.nema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor… não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar É importante pensar-se ao extremo, buscar lá d entro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.
Mario Quintana.
Somos frios, porque demoramos a aceitar a vinda de pessoas em nossas vidas, mas aceitamos com imensa facilidade a partida. Somos frios porque passamos de uma geração onde o primeiro beijo demorava uma semana de longos encontros, a uma geração onde o primeiro beijo é dado como cumprimento, e sexo ao longo dos demais. Nós somos frios por sermos completos babacas com nossa mania de julgar as pessoas sem olhar para as nossas próprias sentenças. Somos completos babacas somente pelo fato de termos nascido em uma geração completamente perdida.
Cuidei. 
Então, você conhece a história de Romeu e Julieta? Ela é uma das minhas preferidas, não porque eles morrem no final, mas sim, por eles terem lutado por seu amor, por eles não ligarem para aquela guerra de família. O teor melancólico da história deles me faz querer sentir aquilo por alguém. Algo intenso e imenso, que nem mesmo a morte seja capaz de separar ou acabar. Acredito eu, que um amor assim só aparece uma vez em sua vida e eu não vou mentir, se um desses aparecer a minha porta estará escancarada para ele. Porquê o que nós faz sofrer não é o sentimento em si, são as pessoas que não souberam agir de acordo com aquilo que diziam sentir. Eu já passei por algo assim, foi ilusão atrás de ilusão, cheguei até a desistir. Mas, qual a graça de desistir? Hoje, eu quero continuar, quero amar, quero sorrir. E não importa se vai ser sozinha ou com alguém ao meu lado. Hoje, o meu lema é ser feliz
A Teoria do Caos. 
É foda, essa menina é um problema. Mas é o meu problema. Porque querendo ou não, é a minha menina. A minha garota certa, a minha menina problema. Sabe qual é? Eu me amarro nela, cara.
robin and stubb.
Das besteiras que eu fiz, você foi a pior. E a mais bonitinha também.
Soulstripper.
Eu não vim aqui pra pedir, o que eu quero eu vou conquistar.
Pitty.  
Eu to com vontade de ficar. Ficar em teus braços, abraçados. Ficar com seu cheiro, com o sabor da sua boca. Ficar com as marcas das suas mordidas, ficar grudado em seu corpo, sem hora pra soltar. Ficar com você, permanecer com você.
Allax Garcia.  
E de repente, fica difícil de se respirar, sua cabeça dói muito, tudo ao seu redor começa a girar. Você olha apenas para um ponto, mas ele não fica parado. Você tenta se apoiar, e lembra daquela série de palavras que tanto te machucaram, e sua situação piora. Os pedaços se foram, deixaram o quebra-cabeça incompleto. E olha as partes que estavam faltando: o coração, a sensatez, a esperança. Palavras não vão me fazer cair, mas o que eu posso fazer se o mundo conspira contra mim, se o único eclipse da minha vida é esconder que estou desistindo. Não importa o que fazemos, não importa o que dizemos, as vezes não é o suficiente. Sua loucura entra em ápice e você se conforma: é assim que tem que ser! Em toda minha vida ouvi para procurar a luz no fim do túnel. Mas ninguém nunca me disse para onde esse túnel ia. Acho que agora eu entendo que ele vai para o céu, mais para chegar lá, temos que passar por um caminho escuro. A morte é escura. Mas a luz sempre brilhará! Então se eu morrer hoje, talvez amanhã eu poderei acordar. No outro lado…
À luz no fim do túnel. Cartas dos Derrotados.